Pesquise aqui os produtos mais baratos da internet. O Marudá Ofertou

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Marudá - PA, verão 2018. Praia, sol e mar

As praias do litoral brasileiro são ótimas opções de destino para curtir as férias de verão. Mas vamos aqui destacar as prais lindas e maravilhosas que temos no nordeste do estado do Pará. Veja as fotos das melhores praias para se curtir partindo de Marudá - Pará. Como chegar a Marudá-PA. Por terra pelo ar ou pelo mar você deve chegar primeira mente a capital do Pará (Belém), daí seguir de carro até Castanhal-PA, por dentro desta cidade tem uma rodovia que leva com destino até Marudá-PA.

COMO CHEGAR
Marudá, fica a 181 km de Belém. O caminho de carro é simples: basta ir pela BR-316 até Castanhal e, de lá, seguir pela PA-136. Da rodoviária de Belém partem ônibus da Rápido Excelsior para Marudá (ida: 6h, 9h, 12h30, 14h30 e 16h30; volta: 7h, 12h, 15h e 17h; 3249-6365). Caso queira se dirigir até a sonhada ilha de Algodoal; há cinco saídas diárias de barco para Algodoal partindo de Marudá, entre 9h e 17h, e o trajeto demora 40 minutos. A passagem custa R$ 6. Quem vai de carro precisa deixá-lo no estacionamento ao lado do porto (R$ 10 por dia). Divirta-se

PRAIA DE MARUDÁ

PRAIA DE CAMARÁ/CRISPIM

PRAIA DA ILHA DE ALGODOAL

PRAIA DO CRISPIM


Para anuncia aqui chame via WhatsApp + 55 (63) 98111-5110

Casar diminui o risco de doenças cardiovasculares, aponta estudo

casamento
© Thinkstock/Getty Images casamento
Manter uma alimentação saudável, praticar exercícios com regularidade e não fumar são alguns hábitos que protegem a saúde do coração, mas você pode adotar outra medida – que nada tem a ver com dieta ou atividade física. Uma pesquisa publicada no Heart, portal da Sociedade Britânica Cardiovascular, aponta que o casamento também é capaz de impedir doenças cardíacas, como enfarto e derrame.

Na investigação, foi descoberto que quem não está casado – por ser solteiro, após divórcio ou falecimento do parceiro (a) – tem 42% mais chances de desenvolver problemas cardiovasculares. Essas pessoas também são mais propensas a morrerem de doenças da artéria coronária (42%) e derrame (55%) em comparação a quem mantém um relacionamento estável.


MSN - Camila Junqueira

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Resgate em caverna da Tailândia será retomado daqui a 10 horas; quatro já saíram

Para receber o grupo preso na caverna na Tailândia, trinta equipes médicas contam com helicóptero e ambulância
Reprodução/ YouTube/ Channel NewsAsia
Para receber o grupo preso na caverna na Tailândia, trinta equipes médicas contam com helicóptero e ambulância

Porta-voz oficial da operação disse que 90 mergulhadores participaram da operação e médicos estão auxiliando na operação que pode durar até 4 dias
 Para receber o grupo preso na caverna na Tailândia, trinta equipes médicas contam com helicóptero e ambulância

Tailândia começou neste domingo a operação de resgate dos 12 garotos e o técnico preso em uma caverna há 16 dias. O porta-voz oficial da operação, Narongsak Osottanakorn, disse em entrevista coletiva que quatro dos 12 meninos foram resgatados e levados diretamente para o hospital. Os garotos viajaram um quilômetro debaixo d'água com a primeira saída da caverna na Tailândia às 17h40 (horário local).


Os mergulhadores agora precisam de 10 a 20 horas para se prepararem para o próximo estágio da operação na caverna na Tailândia . "Nossa operação foi mais bem-sucedida do que esperávamos", disse Narongsak Osatanakorn.



Segundo a BBC , o porta-voz informou que 90 mergulhadores participaram da operação – 40 da Tailândia e 50 do exterior. De acordo com a agência EFE, outros dois garotos já teriam chegado a chamada "caverna 3". Neste local, segundo a imprensa o risco já é bem menor.

Anteriormente, a agência de notícia  Reuters e a imprensa local informaram que seis garotos teriam deixado o complexo de cavernas de Tham Luang. No entanto, a marinha tailandesa confirmou que apenas quatro meninos estão fora da caverna. A rapidez no resgate tem sido atribuída ao baixo nível da água na caverna.

Os quatro resgatados receberam exames preliminares no local e foram levados para um hospital em Chiang Rai, a cidade mais próxima. Um foi levado de avião e três chegaram de ambulância. A indentidade dos meninos liberados não foi divulgada.

Operção de resgate começou neste domingo
A operação de resgate do grupo de 12 garotos e o técnico começou durante a madrugada deste domingo (no horário de Brasília). Segundo as autoridades locais, eles serão retirados em quatro grupos – um com quatro pessoas e os outros com três. O resgate pode durar até quatro dias.
De acordo com a mídia local, os médicos avaliaram os meninos dentro da caverna no sábado e elaboraram uma lista de evacuação prioritária com os mais fracos para serem resgatados primeiro e os mais fortes para saírem por último.

Dois mergulhadores irão acompanhar cada um dos garotos presos. Os meninos usarão máscara facial para passar por trechos inundados. Uma corda ajudará a guiar o grupo.
Para chegar ao grupo, os mergulhadores têm que atravessar cerca de 1,7 quilômetro de passagens estreitas em cada viagem para o interior da caverna. O caminho, que entre ida e volta leva cerca de 11 horas, possui trechos de visibilidade nula e correntes de água, partindo de um posto provisório no interior da caverna.

Narongsak Osatanakorn afirmou que a operação não é só submersa nas águas que inundaram a galeria. Com o bombeamento constante de água para fora da montanha, pontos antes totalmente inundados podem ser feitos caminhando.

Para receber o grupo, trinta equipes médicas estão estão de prontidão, cada uma com helicóptero e ambulância.

Um fator agravante para o processo de resgate é a previsão da chegada de mais chuvas, previstas deste domingo (8) até quarta-feira (11). As autoridades também decidiram dar ondem para que mais de mil profissionais de comunicação deixem o local.


O grupo foi localizado na última segunda-feira (2) . De acordo com o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, oficiais das forças navais do país encontraram os adolescentes dentro da caverna Tham Luang.

Com idade entre 11 e 16 anos, os garotos e o treinador, de 25 anos, estavam desaparecidos desde 23 de junho, quando teriam entrado na caverna durante um passeio – e foram surpreendidos por chuvas torrenciais, que impediram a entrada de mergulhadores profissionais para o resgate.


Eles teriam pedalado até o local depois do treino e podem ter entrado na  caverna na Tailândia  por um túnel estreito de 15 metros que ficou completamente cheio de água devido à forte chuva.

Fonte: Último Segundo - iG

As controversas decisões de Favreto, Moro e Gebran Neto em disputa sobre soltura de Lula

Ex-presidente Lula está preso em Curitiba: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há três meses, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
© Reuters O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há três meses, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante entrevista com a AFP em São Paulo, em 1º de março de 2018Presidente do Tribunal mantém Lula preso 

O escritor José Saramago, em fevereiro de 1998, em Barcelona.O último caderno de Saramago 
Ex-presidente Lula está preso em Curitiba: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há três meses, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro© Reuters O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há três meses, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Um novo pedido de habeas corpus em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabou desencadeando uma série de decisões "estranhas e incorretas" da Justiça brasileira neste domingo, avaliam juristas ouvidos pela BBC News Brasil. Depois de muita indefinição, o petista foi mantido preso em Curitiba, onde cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso Tríplex do Guarujá.

Tudo começou com uma inesperada determinação do desembargador que estava de plantão no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Rogerio Favreto, para a imediata soltura de Lula, ao atender recurso apresentado por três parlamentares petistas. A decisão veio depois de o Supremo Tribunal Federal ter autorizado a detenção do ex-presidente em abril. 

'Não tenho atividade político-partidária', diz desembargador que determinou que Lula fosse solto
Como multinacionais de países 'linha-dura' contra a corrupção acabaram investigadas por fraudes na saúde do Brasil
O movimento de Favreto gerou imediata reação do juiz de Curitiba Sergio Moro, responsável pela condenação do petista em primeira instância, que resolveu se manifestar mesmo estando de férias para afrontar decisão de instância superior. Logo depois, o relator do processo de Lula no TRF-4, Pedro Gebran Neto, suspendeu a decisão de seu colega plantonista, embora a princípio tivesse jurisdição para analisar o caso apenas na segunda-feira, quando terminasse o plantão. Com isso, Favreto reafirmou sua decisão e determinou mais uma vez a liberdade de Lula.

Em meio ao impasse gerado por decisões de dois desembargadores de um mesmo tribunal, sobrou para o presidente do TRF-4, Thompson Flores, resolver a disputa: ele manteve a prisão afirmando que o pedido de habeas corpus de Lula é do desembargador João Pedro Gebran Neto, e não de Favreto.

"Isso (as sucessivas decisões) mostra aos olhos de todos que há uma insegurança jurídica generalizada. A cada dia, a cada momento, você é surpreendido por decisões ora contra, ora a favor, ora incompatíveis", criticou o advogado criminalista Gustavo Badaró, professor de Processo Penal da USP.

Já o professor da FGV Direito Rio Ivar Hartmann avaliou as decisões de Favreto, Moro e Gebran Neto, como "tecnicamente erradas" e criticou também os aliados de Lula que teriam ingressado, na sua visão, com um habeas corpus ilegal no TRF-4.

Entenda melhor quais as controvérsias em torno das decisões desse domingo.

1ª decisão: plantonista manda soltar Lula
O desembargador Rogerio Favreto, do TRF-4, tentou por três vezes libertar Lula© Rogerio Favreto, do TRF-4 O desembargador Rogerio Favreto, do TRF-4, tentou por três vezes libertar Lula
Três deputados federais petistas - Wadih Damous, Paulo Teixeira e Paulo Pimenta - entraram com um novo pedido de habeas corpus na noite de sexta-feira no Tribunal Regional Federal da 4ª região. Para os juristas ouvidos pela BBC News Brasil, os parlamentares parecem ter estrategicamente escolhido apresentar o recurso sabendo que o desembargador de plantão seria "ideologicamente favorável" ao pedido.

Favreto, que tem sido crítico à Operação Lava Jato, já foi filiado ao PT antes de se tornar juiz, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

À BBC News Brasil, o desembargador negou que tenha agido por motivação política e defendeu sua decisão afirmando que a pré-candidatura de Lula à Presidência da República seria um "fato novo" que justificaria libertá-lo agora. Em seu despacho, Favreto argumentou que o petista seria vítima de "duplo cerceamento de liberdade: direito próprio e individual como cidadão de aguardar a conclusão do julgamento em liberdade e, direito político de privação de participação do processo democrático das eleições nacionais, seja nos atos internos partidários, seja na ações de pré-campanha".

Para Badaró, da USP, a decisão "forçou a barra". "O fato de de Lula se tornar pré-candidato não é um fato novo que incida sobre o conteúdo daquilo que decidiu o tribunal quando determinou a prisão", argumenta o professor.

Já na avaliação de Hartmann, Favreto deveria ter rejeitado o pedido porque o TRF-4 não seria a instância adequada para o novo recurso. Segundo o professor da FGV, o habeas corpus apresentado era ilegal porque, ao contestar a prisão de Lula autorizada pelo TRF-4, teria que ser apresentado à instância superior, ou seja, o Superior Tribunal de Justiça.

"Claramente o pedido não devia ser encaminhado para o TRF-4 e vemos uma estratégia de fazer o pedido justamente no fim de semana em que o plantonista é o juiz Rogério Favreto", observou.

"Acho que foi uma jogada inteligente dos aliados de Lula porque sabiam que, se conseguissem a soltura hoje, para conseguir a volta da prisão depois seria mais difícil politiciamente", acrescentou.

Já o deputado petista Wadih Damous contestou a crítica de Hartmann e disse à BBC News Brasil que o habeas corpus foi apresentado contra a decisão de Moro de decretar a prisão de Lula em abril e que, por isso, o TRF-4 seria sim o foro adequado para apreciar o recurso.

Vale lembrar que a oitava turma do TRF-4, após confirmar a condenação de Lula por Moro em janeiro, autorizou o petista a ser preso pelo juiz de Curitiba assim que se esgotassem os recursos da defesa na segunda instância, o que foi feito em abril. Essa autorização teve respaldo em jurisprudência do STF que permitiu, a partir de 2016, o cumprimento antecipado da pena, ou seja, antes do esgotamento de todos os recursos disponíveis para a defesa.

2ª decisão: Moro desautoriza soltura de Lula
O juiz federal Sérgio Moro: Sérgio Moro está de férias até o dia 31 de julho, mas está no Brasil, segundo sua assessoria© CGTN America Sérgio Moro está de férias até o dia 31 de julho, mas está no Brasil, segundo sua assessoria
Pouco depois da primeira decisão, Moro, mesmo estando de férias, liberou um despacho dizendo que Favreto não seria competente para julgar o recurso de Lula e determinou que ele não fosse solto até que o relator do caso no TRF-4, o desembargador Gebran Neto, se manifestasse - o que acabou ocorrendo pouco depois, com uma decisão para suspender a ordem de soltura.

Para Hartmann, Moro não poderia ter tomado essa decisão. Segundo ele, Moro, por ser um juiz de primeira instância, não poderia intervir no cumprimento da decisão de um desembargador, mesmo se não estivesse de férias. Na sua avaliação, a Polícia Federal poderia ter ignorado o despacho do juiz de Curitiba e aplicado a decisão de Favreto, que tinha sim competência para julgar enquanto estava no plantão judiciário.

"Acho que tanto Gebran como Moro viram uma jogada estratégica dos parlamentares (que entraram com o pedido de habeas corpus) e decidiram agir para evitar o custo político que a soltura de Lula traria para o próprio Judiciário, ainda que erroneamente", analisa.

"Moro errou ao atravessar essa decisão que não tinha nada a ver com ele. Ele fez para criar uma celeuma, ganhar tempo e chamar o Gebran para se manifestar", acredita também Badaró.

A decisão de Moro acabou dando gás para a defesa de Lula voltar a questionar sua imparcialidade nos processos contra o petista.

"O juiz de primeira instância Sergio Moro, em férias e atualmente sem jurisdição no processo, autuou decisivamente para impedir o cumprimento da ordem de soltura emitida por um Desembargador Federal do TRF4 em favor de Lula, direcionando o caso para outro Desembargador Federal do mesmo Tribunal que não poderia atuar neste domingo", criticou por meio de nota o advogado de Lula Cristiano Zanin.

3ª decisão: relator suspende soltura de Lula
Após o despacho de Moro convocando seu pronunciamento, Gebran Neto determinou que Lula deveria ser mantido preso. No despacho, argumentou que a "decisão proferida em caráter de plantão poderia ser revista por mim, juiz natural para este processo, em qualquer momento".

A decisão é controversa, no entanto, porque o plantão judiciário terminaria às 11 horas de segunda, quando só então o relator teria jurisdição para revogar a decisão do plantonista, ressaltaram Badaró e Hartmann.

"É um decisão excepcional. O relator poderia revogar a decisão, mas apenas amanhã (segunda). Imagina, caso fosse o Zé da esquina preso porque roubou o celular de alguém, se o desembargador iria sair domingo do descanso dele para decidir", disse o professor da USP.

O impasse acabou resolvido com a decisão do presidente do TRF-4, Thompson Flores. Contrariando a opinião dos dois professores ouvidos pela BBC News Brasil, ele decidiu que a competência para julgar o pedido de habeas corpus de Lula é do desembargador João Pedro Gebran Neto, e não de Favreto.

Flores também restaurou a validade de uma decisão anterior de Gebran, tomada por volta das 14h de domingo, determinando a manutenção da prisão de Lula.

Na decisão, Flores argumenta que Favreto não tinha competência para julgar pedidos de Lula, por não ter participado da sessão que decidiu pela prisão do petista; e que não havia fato novo em relação aos pedidos anteriores de soltura do petista.

O saldo geral acabou negativo para a imagem do Judiciário, acredita Daniela Bonaccorsi, professora de Direito Penal na PUC de Minas Gerais. "A gente já sabia que a política entrou no Judiciário, comprometendo a legitimidade das decisões. Entendo que agora há um problema ainda maior, não só de disputa política, mas de disputa pessoal entre os juízes", lamenta.

BBC News

sábado, 7 de julho de 2018

30 Cervejas Belgas que você tem que beber antes de morrer


MSN - Leonardo Filomeno  21 horas atrás

George Hood tem 60 anos e bateu recorde ao ficar 10 horas em posição de prancha.Homem fica 10h em 'posição de prancha' e bate recorde 

A seguir, descubra essas maravilhas 'ocultas' e imperdíveis ao redor do mundo.Descubra maravilhas subterrâneas pelo mundo 

© Reprodução
Se tem uma escola que manda bem no quesito cerveja, esta é a Bélgica. Apesar de não terem nenhum título mundial (de futebol, é claro), os belgas dão um show nos mais diversos rótulos, estilos e bares de cerveja especial!

+ Conheça o Delírium Café São Paulo

+ 20 Cervejas IPAs que você tem que conhecer
Para resumir o estilo de cervejas belgas em poucas palavras, eu diria que é uma escola com muita inventividade e sem estilos determinados. A Bélgica é  considerada o Paraíso das Cervejas, por concentrar em um espaço pequeno (do tamanho do Ceará), mais de mil rótulos diferentes, além de toda a tradição das cervejas de abadia e trapistas.

“A escola belga é uma escola lúdica, os rótulos são divertidos, com ingredientes dos mais diversos e mais teor alcoólico”, resume Paulo Almeida, um dos sócios do Empório Alto de Pinheiros e também do Delirium Café SP.

Melhores Cervejas belgas 2© Fornecido por MHM Melhores Cervejas belgas 2
Sem preocupação com a lei de pureza alemã, as receitas das brejas belgas abusam do uso de especiarias e frutas, como semente de coentro, cardamomo, cascas de laranja. No aroma e sabor, a presença do frutado e malte sobresaem o lúpulo.

“Eles não tem compromisso com estilo nenhum, tem compromisso em fazer cerveja interessante”, resume David Michelsohn, dono da cervejaria paulistana Júpiter.

Se tem algo que eles são puristas é em relação aos copos, com cada cervejaria tendo o item exclusivo para os rótulos. Se você estiver em uma viagem à Belgica, não estranhe se não te servirem uma cerveja em um bar por não ter o copo adequado. Lá isto é muito comum.

Diferença de cerveja de Abadia e Trapistas
Uma das coisas mais comuns é o consumidor confundir as cervejas de Abadia e Trapistas. Apesar de ter os estilos similares, a principal diferença é que para ser considerada uma cerveja Trapistas, precisa ser feita em mosteiros que atendem às exigências definidas (não produzir cerveja para obtenção lucro, produzidas por monges religiosos ou sob supervisão deles e reverter o dinheiro para obras assistenciais). As cervejas de Abadia tem um selo próprio, mas caso seja produzida sem o certificado, pode ser chamada de cervejas do estilo Abadia.

30 Cervejas Belgas que você tem que tomar antes de morrer

1# Delirium Tremens (8,5% ABV)

Melhores Cervejas belgas 1© Fornecido por MHM Melhores Cervejas belgas 1
Estilo: Belgian Golden Strong Ale

Descrição: O tradicional rótulo do elefante rosa da cervejaria Huyghe é um dos mais famosos do mundo. Um aroma de malte caramelo presente, frutas cítricas como laranja, limão, além de frutas amarelas, como abacaxi e damasco. O alto teor alcoólico de 8,5% não é notado.

2# Waterloo Double Dark (8,5% ABV)

Cerveja Waterloo - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Waterloo - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Descrição: Esta tradicional cerveja belga encontra sua origem em 1815, na época da batalha de Waterloo. Seu processo de fabricação de cerveja à moda antiga de malte e lúpulo finamente selecionados lhe confere um carácter forte, saboroso e vigoroso.

3# Westvleteren 12 (10,2% ABV)

Cerveja Westvleteren 12 - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Westvleteren 12 - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Quadruppel

Descrição: Para comprar essa, boa parte das pessoas vão a abadia Saint Sixtus of Westvleteren Westvleteren Trappist, na Belgica. Os clientes precisam concordar em não revendê-las para terceiros. Você quer saber se vale a pena ir atrás dessa quadrupel? Vale, tanto que ela alcançou a nota máxima no Rate Beer, o site de avaliação colaborativa de cervejas. (obs: se você quiser comprar por aqui, tem que estar disposto a pagar de R$ 300 pela garrafa)

4# Trappistes Rochefort 8 (9,2% ABV)

Cerveja Rochefort- Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Rochefort- Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Descrição: A Trappistes Rochefort 8 é uma cerveja belga trapista, produzida pela Abadia de Notre-Dame de St. Remy. Começou a sua produção cervejeira em 1595.

5# Affligem Blond (6,8% ABV)

Cerveja Affligem- Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Affligem- Cervejas belgas
Estilo: Belgian Blond Ale

Descrição: a abadia mais antiga em Flandres foi construída no ano de 1074, quando seis cavaleiros arrependidos de suas vidas violentas se estabeleceram em Affligem e adotaram a vida monástica. Para passar o tempo, nada melhor do que fazer cerveja!

6# La Chouffe (8% ABV)

Cerveja La Chouffe - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja La Chouffe - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Specialty Ale

Descrição: A La Chouffe é o carro chefe da micro-cervejaria, uma cerveja especial não filtrada e fermentada diretamente no barril. Leve sabor de lúpulo, casca de laranja e coentro.

7# Gueuze Mariage Parfait (8% ABV)

Cerveja Mariage Parfait - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Mariage Parfait - Cervejas belgas
Estilo: Lambic – Gueuze

Descrição: é o casamento perfeito entre cervejas Lambic envelhecidas, selecionadas pelo próprio mestre-cervejeiro. É uma mistura de 100% de cervejas deste estilo, maturadas em tonéis de carvalho, passando ainda por uma segunda fermentação na garrafa, uma tradição mantida desde 1835.

8# Lindemans Kriek (4% ABV)

Cerveja Lindemans Kriek - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Lindemans Kriek - Cervejas belgas
Estilo: Fruit Lambic

Descrição: esta cerveja ácida e frutada é uma das mais tradicionais fruit lambic. Ela é seca, com acidez intensa e aroma e sabor que remetem à cereja, madeira e vinagre.

9# Gregorius Trappistenbier (9,7% ABV)

Cerveja Gregorius - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Gregorius - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Descrição: com prazo de validade indeterminado, esta cerveja pode ser chamada de vinho de cevada. Contem notas de especiarias, malte e aroma de frutas secas.

10# Leffe Brown (6,5% ABV)


Cerveja Leffe - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Leffe - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dubbel
Descrição: Produzida desde o século 13 pelos monges da Abadia Belga de Leffe, a marca Leffe é a cerveja tipo Abadia mais consumida no mundo. O rótulo já foi considerado um dos melhores do mundo.

11# Corne La Triple 10 (10% ABV)

Cerveja Corne- Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Corne- Cervejas belgas
Estilo: Belgian Tripel

Descrição: a cerveja servida no copo que imita um chifre foge um pouco dos padrões dos estilo. Ela não usa candi sugar e especiarias comuns que as tripels normalmente usam.

12# La Trappe Quadrupel (10% ABV)

Cerveja La Trappe Quadrupel - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja La Trappe Quadrupel - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Quadrupel

Descrição: este exemplar de forte teor alcoólico é feito no mosteiro trapista da Holanda. É uma ótima cerveja de guarda, ou seja, para conservar e tomar futuramente.

13# Mort Subite Framboise (4,5% ABV)

Morte Subite- Cervejas belgas© Fornecido por MHM Morte Subite- Cervejas belgas
Estilo: Fruit Lambic

Descrição: espontaneamente fermentada, é lentamente amadurecida em barris de carvalho de madeira. O sumo das framboesas mais maduras é adicionado, o que dá a esta tradicional cerveja o sabor frutado extremo de framboesas.

14# Kwak (8% ABV)

Cerveja Kwak - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Kwak - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Golden Strong Ale

Descrição: é uma cerveja âmbar fabricado desde os anos 1980. É filtrada antes de ser embalada em garrafas e barris. Seu copo também é icônico, feito para ser consumido nas viagens de carroça sem derramar.

15# Deus Brut des Flandres (11,5% ABV)

Cerveja Deuss - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Deuss - Cervejas belgas
Estilo: Bière Brut

Descrição: esta icônica cerveja passa por um longo processo de fermentação chamado método champenoise, onde as garrafas vão para a França e repousam nas caves, da mesma forma que champanhe.

16# St. Bernardus 12 (10,5% ABV)

Cerveja ST. Bernardus - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja ST. Bernardus - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Quadrupel

Descrição: a mais alcoólicas da cervejaria, esta quadrupel tem o sabor frutado intenso e é uma ótima opção de cerveja de guarda.

17# Lucifer (8% ABV)

Cerveja Lucifer - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Lucifer - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Golden Strong Ale

Descrição: contrapondo a Deus, esta cerveja tem aromas cítricos e de malte, toque frutado e final completamente seco.

18# Averbode (7,5% ABV)

Cerveja Averbode - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Averbode - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Pale Ale

Descrição: um mosteiro belga tinha produzia tradicionalmente  o rótulo até parar. A cervejaria da Delirium conseguiu voltar a produção neste começo de ano, entregando este rótulo fantástico.

19# Tripel Karmeliet (8% ABV)

Tripel Karmeliet - cervejas belgas© Fornecido por MHM Tripel Karmeliet - cervejas belgas
Estilo: Belgian Tripel

Descrição: A Tripel Karmeliet é uma famosa cerveja belga, conhecida pelas suas magníficas e generosas notas florais e cítricas. Ela ainda é fabricada com uma receita de cerveja autêntica de 1679.

20# Gouden Carolus Cuvée van de Keizer Blauw (10,5% ABV)

Cerveja Golden Carolus - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Golden Carolus - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Descrição: A Gouden Carolus Cuvée van de Keizer Blauw é uma cerveja especial, fabricada apenas no dia 24 de fevereiro de cada ano, data do aniversário do imperador Charles V.

21# Orval (6,2% ABV)

Cerveja Orval - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Orval - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Specialty Ale

Descrição: Ao contrário de todas as demais cervejarias trapistas, a Orval produz apenas um único tipo de cerveja. Ela é intensamente aromática e seca. Entre a primeira e a segunda fermentação, há um processo adicional de dry-hopping. Em razão disso, essa cerveja adquire um pronunciado aroma lupulado e um extra amargor.

22# Chimay Blue (9% ABV)

Cerveja Chimay Blue - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Chimay Blue - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Descrição: Elaborada por monges trapistas na Abadia de Scourmont, Bélgica, a Chimay Blue é uma cerveja forte e bem aromatizada. Pode ser guardada até 5 anos e melhora com o tempo como um vinho.

23# Cantillon Kriek (5% ABV)

Cerveja Cantillon - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Cantillon - Cervejas belgas
Estilo: Fruit Lambic

Descrição: a cerveja recebe adição de 150 quilos de cereja em barris que totalizam 650 litros de lambic que, via de regra, descansam há 18 meses. Assim que a mistura é feita, o barril é lacrado e cinco dias depois começa a fermentação.

24# Duchesse de Bourgogne (6,2% ABV)

Cerveja Duchesse Bourgogne - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Duchesse Bourgogne - Cervejas belgas
Estilo: Flanders Red Ale

Descrição: Uma cerveja que passa por envelhecimento em barricas de carvalho e o produto final é um blend entre safras de 8 e 18 meses. O rótulo é uma homenagem à Mary, a duquesa de Borgonha que nasceu no século 15 nos arredores de Bruxelas.

25# De Dochter van de Korenaar Embrasse Peated Oak Aged (10% ABV)

Cerveja Embrasse Peated Oak Aged - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Embrasse Peated Oak Aged - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Strong Dark Ale

Descrição: Uma versão da Embrasse, uma Belgian Dark Strong Ale, porém maturada em barris de single malte de whisky escocês Ardbeg. Aqui, o aroma de whisky e turfa bem perceptiveis.

26# Vedett Extra White (4,7% ABV)

Cerveja Vedett - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Vedett - Cervejas belgas
Estilo: Witbier

Descrição: no estilo que considero porta de entrada para o mundo das cervejas especiais, este rótulo oferece laranja e limão, com sementes de coentro.

Confira também alguns rótulos brasileiros no estilo Belga
27# Wals Dubbel (7,5% ABV)

Cerveja wals dubbel Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja wals dubbel Cervejas belgas
Estilo: Belgian Strong Ale

Descrição: o rótulo da cervejaria mineira conquistou o ouro no World Beer Cup 2014, uma das maiores competições cervejeiras do mundo.

28# Gordelícia (7,5% ABV)

gordelícia - cervejas estilo belga© Fornecido por MHM gordelícia - cervejas estilo belga
Estilo: Belgian Golden Strong Ale

Descrição: o rótulo irreverente é um dos primeiros da cervejaria Urbana e traduz muito bem o estilo belga. É a minha cerveja carisma.

29# Eisenbahn Pale Ale (4,8% ABV)

Cerveja Eisenbahn - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Eisenbahn - Cervejas belgas
Estilo: Belgian Pale Ale

Descrição: uma das poucas que representam o estilo belga no Brasil, ela é de alta fermentação, com sabores frutados e lupulados.

30# Jupiter Tanger (7,5% ABV)

Cerveja Jupiter - Cervejas belgas© Fornecido por MHM Cerveja Jupiter - Cervejas belgas
Estilo: witbier

Descrição: o rótulo é feito com casca de tangerina e especiarias, além de levar cominho. Oferece alta drinkability e ideal para temperaturas altas.

Colaboração: Kadu Mendes, do site Brejada

Quem são os integrantes do time de futebol preso na caverna da Tailândia?

Adolescentes da Tailândia presos em caverna são encontrados vivos
Adolescentes da Tailândia presos em caverna são encontrados vivos© Reprodução Adolescentes da Tailândia presos em caverna são encontrados vivos

Um soldado segura uma foto de Samarn Poonan, 38 anos, ex-membro da unidade de elite da marinha tailandesa que morreu trabalhando para salvar 12 garotos e seu treinador de futebol, que ficaram presos em uma caverna na província de Rayong, Tailândia – 06/07/2018Morte de mergulhador expõe riscos de resgate na Tailândia 

Um time de futebol com 12 adolescentes de 11 a 16 anos e seu treinador, de 25 anos, estão presos há 13 dias na caverna de Tham Luang, no norte da Tailândia. Inicialmente, a previsão era que o resgate levasse até quatro meses para ser concluído, mas a queda no nível de oxigênio dentro do local provocou uma corrida contra o tempo. Em meio ao desespero de familiares, amigos e professores dos jovens, veículos de imprensa locais e estrangeiros traçaram o perfil do grupo.

arte-caverna-transversal: Corte transversal de cavernas na Tailândia onde um time de futebol está preso.
© VEJA Corte transversal de cavernas na Tailândia onde um time de futebol está preso.

O Wild Boars FC (ou Moo Pa, em tailandês), do qual os jovens fazem parte, é um clube pequeno, que entra apenas em campeonatos distritais. Tem equipes de sub-12, sub-16 e sub-19 – os adolescentes que estão na caverna jogam no time para menores de 16 anos.

A maior parte dos jovens agora presos na gruta pertencem a minorias étnicas da região e provém de comunidades pobres. Muitos deles se juntaram ao clube quando tinham apenas oito ou nove anos. O jornal britânico The Guardian, com a ajuda do tailandês Thai Rath, com sede em Bangkok, fez um levantamento do que se sabe sobre os adolescentes.

No gol

O goleiro titular do time é Ekkarat Wongsookchan, de 14 anos, que atende pelo apelido de Bew. Definido como um menino muito disciplinado, ele costuma recolher os equipamentos ao final de cada treino.

Bew também é muito amigo de Pipat Bodhi, de 15 anos, apelidado de Nick, que também está na caverna. O jovem não é um membro dos Wild Boars, mas havia se juntado ao treino da equipe para passar mais tempo com Bew em 23 de junho, dia em que os integrantes tiveram de entrar na caverna para se refugiar da forte chuva.

Prajak Sutham, de 14 anos, conhecido como Note, assume a posição de Bew ocasionalmente, quando não está atuando no meio-campo. Ele joga futebol há dois anos.

Defesa
Jogando na posição de defesa estão Pornchai Kamluang, de 16 anos, conhecido como Tee, e Panumas Saengdee, de 13 anos, apelidado de Mick.

Mick foi descrito como um excelente defensor, com uma verdadeira vocação para assumir o posto graças ao seu movimento fluido. No entanto, seus treinadores também consideraram colocá-lo para jogar como atacante, pois dizem que ele é forte e hábil para marcar gols de cabeça. Apesar de ser bem mais jovem do que Tee, diz-se que ele joga tão bem quanto um garoto de 15 anos.

Meio-campo
Adul Sam-on é o único da equipe que parece falar bem inglês. Foi ele quem conversou com o grupo de mergulhadores britânicos que encontrou os jovens dentro da caverna. A princípio, os garotos pensaram se tratar de exploradores. Adul logo chamou os estrangeiros para perguntar, em inglês, em que dia estavam e falar que ele e seus amigos estavam com muita fome.

No time, o jovem de apenas 14 anos joga na ala esquerda. Suas habilidades em inglês lhe renderam a admiração de milhões de pessoas na Tailândia, onde menos de 30% da população fala o idioma. Segundo as agências de notícias locais, ele aprendeu a língua por causa do seu envolvimento em atividades da igreja que frequenta. Ele também fala tailandês, mandarim e birmanês – este último ele aprendeu por morar em Mianmar, no estado de Shan, logo na fronteira com a Tailândia.

Sompong Jaiwong
Como muitos estudantes no distrito tailandês de Mae Sai, onde fica a escola que frequenta, ele se desloca pela fronteira todos os dias.

Além de Adul, o time também conta com dois alas direitas: Peerapat Sompiangjai, de 16 anos, conhecido como Night, e Sompong Jaiwong, de 13 anos, chamado de Pong.

Ataque
© Reprodução Duangpetch Promthep
Duangpetch Promthep, de 13 anos, conhecido como Dom, é o capitão da equipe e um dos atacantes. Seus companheiros dizem que ele tem qualidades de um líder nato e um bom senso de humor. Dom foi convidado para fazer treinos experimentais em alguns dos principais clubes provinciais, incluindo o Sukhothai FC e o Chiangrai United FC.

Chanin Wiboonrungrueng© Reprodução Chanin Wiboonrungrueng
Jogando ao lado de Dom está Chanin Wiboonrungrueng, de 11 anos, também apelidado de Titã. Ele é o jogador mais jovem dos Wild Boars e joga futebol há cinco anos. Ele foi descoberto pelo clube após se destacar no time de sua escola, há três anos.

Resgate em caverna na Tailândia – Nattawut Takamsai© Reprodução Nattawut Takamsai
O terceiro e último atacante é Nattawut Takamsai, de 14 anos, conhecido como Tle.

Treinamento
A equipe de treinamento dos Wild Boars conta com o treinador-adjunto, Ekaphol Chantawong, de 25 anos, e seu assistente, Mongkol Boonpiam, de 14 anos, apelidado de Mark. Ambos estão presos na caverna com o resto do time.

Resgate em caverna na Tailândia – Mongkol Boonpiam© Reprodução Mongkol Boonpiam
Segundo o jornal esportivo tailandês Siamsport, Mark joga futebol desde que estava no jardim de infância e ama tanto o esporte que quase sempre usa uma camiseta de seus times preferidos. Ele torce para o Muangthong United, a principal equipe da liga tailandesa. Ele também gosta de nadar e andar de bicicleta.

Chantawong já foi ordenado como monge budista e, desde que deixou a função, passou grande parte do seu tempo cuidando de sua avó. De acordo com o The Australian, que entrevistou a tia do treinador, ele perdeu os pais e o irmão mais novo quando tinha apenas 10 anos, por causa de uma epidemia que se espalhou pelo norte do país em 2003, embora a doença não tenha sido especificada.

Resgate em caverna na Tailândia – Ekaphol Chantawong: O técnico Ekaphol Chantawong© Reprodução O técnico Ekaphol Chantawong
As agências de notícias tailandesas informaram que as autoridades não descartam acusá-lo de crime por ter levado as crianças para dentro da caverna, mas o porta-voz do governo tailandês,

Gen Werachon Sukondhapatipak, disse ao The Guardian que “ninguém está falando sobre isso”.

Werachon afirmou que a presença do técnico foi um conforto para os garotos. “O treinador está aconselhando eles a se deitar, [tentar] meditar, é claro, não mexer muito o corpo e não desperdiçar energia”, disse.


Veja.com

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Criança tem dedo cortado por professora após desobediência em sala de aula

Jason Brandom Jr, de sete anos, teve dedo cortado por professora que fechou porta da sala de aula na mão dele
Reprodução/WDIV
Jason Brandom Jr, de sete anos, teve dedo cortado por professora que fechou porta da sala de aula na mão dele

Garoto de 7 anos teve dedo amputado após docente fechar mão dele na porta; mãe do aluno entrou na justiça e aguarda providências da escola.

Jason Brandom Jr, de sete anos, teve dedo cortado por professora que fechou porta da sala de aula na mão dele

Uma mãe reivindica direitos de seu filho, alegando falta de providências por parte da escola acerca de um incidente do ano passado envolvendo a criança de sete anos e uma professora. De acordo com informações do jornal Metro , Camila Barnes foi chamada até a instituição de ensino em que Jason Brandom Jr. estudava depois de o menino ter um dedo cortado pela docente, que fechou a porta da sala de aula na mão do aluno.

Barnes afirmou que mesmo depois de meses do incidente e do filho ter tido parte do dedo cortado , a Academia Henderson, a qual o filho estudava em Detroit, Estados Unidos, não tomou medidas sobre o caso e nem sobre a atuação da professora. Ela informou que entrou com um processo judicial contra a docente, que não teve a identidade divulgada, e que segue aguardando um posicionamento efetivo da instituição de ensino.

Incidente em que criança teve o dedo cortado por professora
Camila relatou que, depois do incidente, a escola entrou em contato com ela alegando “que algo não corria bem com Jason, e que, por isso, deveria comparecer até o local para buscá-lo”.

Chegando lá, a mulher encontrou seu filho com a mão envolta a um pano, sendo informada pela enfermeira que era necessário transferi-lo para um hospital imediatamente. Ela ressaltou que os funcionários do colégio não chamaram uma ambulância para socorrer o garoto, e que teve de utilizar um aplicativo de transporte via caronas para levá-lo ao médico.

 Barnes acrescentou não ter recebido “ao menos um pedido de desculpas” pelo ocorrido, e, por isso, também decidiu recorrer à justiça na tentativa de fazer com que a escola estabeleça melhores políticas e procedimentos em casos semelhantes.

“Encontrei o meu filho com uma ferida exposta, o osso do dedo dele estava nitidamente aparecendo. Me informaram que tudo aconteceu depois da professora fechar a porta quando ele tentou retornar à sala de aula sem sua permissão. Aparentemente ele havia sido expulso por se comportar mal. De qualquer forma, você não pode bater a porta na ‘cara’ de um aluno, isso pode ocasionar algo grave, como o incidente com meu filho. Ele teve o dedo cortado por falta de profissionalismo da professora, e até agora nada foi feito sobre isso”, concluiu ela em entrevista ao canal WDIV . A Academia Henderson foi procurada pela mídia local e não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: Último Segundo - iG

Recém-casada mata marido dias após casamento e coloca culpa em dor de cabeça

Indiana matou o marido porque estava com dor de cabeça
Reprodução
Indiana matou o marido porque estava com dor de cabeça

Apesar de ter confessado o crime, policiais ainda investigam o caso; mulher teria cortado o corpo do companheiro enquanto ele dormia com um foice

Quatro dias após o casamento de Sinki Devi, de 23 anos, e Ravindra Singh, de 30 anos, a história dos dois indianos, que mal havia começado, acabou de um jeito bastante trágico. Singh foi encontrado morto em sua cama na madrugada da última quarta-feira (4) e a suspeita de cometer o crime é sua esposa recém-casada, confessou que matou o marido depois de ter sofrido de uma “dor de cabeça terrível”.

Devi teria atacado o marido quando os dois estavam no quarto. O casal teria ido dormir e, de acordo com seu depoimento aos policiais, sem brigas, na noite de terça-feira (3), quando a jovem teria atacado o companheiro. A indiana afirmou que matou o marido com uma foice.

O incidente ocorreu no vilarejo de Mukimpur, no estado indiano de Bihar, no nordeste do país, que faz fronteira com o Nepal.

A mãe da vítima foi quem denunciou o caso à polícia. Por volta da primeira hora de quarta-feira, Bhagwati Kunwar, que morava com o casal, ouviu gritos até que decidiu se levantar e bater na porta do quarto do filho com a esposa para verificar o que estava acontecendo.

Segundo o relato da polícia, Kunwar teria ficado mais de dez minutos batendo na porta até que Devi a deixasse entrar.

Quando conseguiu acesso ao cômodo, a mãe informou às autoridades que encontrou seu filho deitado em uma poça de sangue, e pediu ajuda de familiares e vizinhos que levaram o homem sangrando ao hospital mais próximo.

Singh foi declarado morto na chegada a unidade de saúde, e Devi foi presa e acusada do homicídio do marido. Ela teria cortado o corpo do homem antes de ter golpeado sua garganta com uma foice, causando a morte.

Um porta-voz da polícia afirmou que a recém-casada - agora viúva - parecia "extremamente calma", apesar de ter presenciado a morte sangrenta de seu parceiro.

Fonte: Último Segundo - iG

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Time de futebol preso em caverna na Tailândia vai aprender a mergulhar para facilitar resgate


© Fournis par RFI

Os 12 meninos e seu treinador de futebol encontrados vivos nesta segunda-feira (2) depois de passarem nove dias sem mantimentos, em uma caverna inundada do norte da Tailândia, precisam recuperar as forças antes do resgate. Eles também devem aprender a mergulhar para agilizar as operações, segundo as autoridades do país.

"Nossa missão de busca foi coroada com êxito, mas ainda precisamos retirá-los da caverna", afirmou o governador da província de Chiang Rai, Rarongsak Osottanakorn, que supervisiona o resgate. "Há 10 dias esperava por isto. Não acreditava que este dia chegaria", disse o pai de um dos menores de idade. Os mergulhadores encontraram os meninos a uma centena de metros de "Pattaya Beach", a zona da caverna onde acreditavam que eles estariam refugiados, agora inundada.

Os meninos e seu treinador de futebol receberão alimentos suficientes para quatro meses e aulas de mergulho para o resgate, anunciou a Marinha nesta terça-feira (3). Vamos "ensinar os 13 membros do grupo a mergulhar, enquanto seguimos retirando a água", declarou o comandante Anand Surawan, da Marinha tailandesa.

Os garotos, com idades entre 11 e 16 anos, e seu treinador, 25, foram localizados na noite de segunda-feira - sãos e salvos - no interior da caverna. Um vídeo gravado pelos socorristas e publicado no Facebook mostra um grupo de meninos magros, vestidos com camisas de futebol sujas de lama, refugiados em uma saliência da caverna cercada pela água. As imagens tiveram milhares de visualizações nas redes sociais.

Linha direta

Nesta terça-feira está prevista a instalação de uma linha direta, de vários quilômetros de comprimentos, na galeria principal da caverna para que os meninos consigam se comunicar com o mundo exterior, especialmente com os pais. As possibilidades de um resgate nas próximas horas são pequenas. Segundo os socorristas, um mergulhador experiente demoraria seis horas para percorrer o trajeto que leva até as crianças.

Um grupo de médicos chegou ao local onde estão os meninos para avaliar sua capacidade para mergulhar a partir desta terça-feira ou dentro de alguns dias. Equipamentos de mergulho foram levados, assim como medicamentos. Os socorristas continuam bombeando ao máximo a água para fora da caverna visando facilitar o resgate dos meninos, que deverão percorrer quatro quilômetros até a saída.

A localização dos meninos provocou grande alegria na Tailândia, após vários dias difíceis de chuvas torrenciais. A TV tailandesa acompanha "ao vivo" as operações. Nopparat Kantawong, o técnico principal do clube de futebol dos meninos, se disse convencido de que o esporte e o espírito de equipe foram fundamentais para sua sobrevivência. "Estou muito feliz. Nós os ensinamos a ajudar uns aos outros, como uma equipe. O futebol é um esporte de lutadores", disse o técnico à TV nacional na entrada da caverna.


RFI

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Procissão de São Pedro: Evento comemorativo ao dia de São Pedro em Marudá-PA

Veja em fotos as comemorações por homenagem ao dia de São Pedro em Marudá-PA.


Fotos Carlinhos

Militares e mergulhadores estrangeiros ajudam em tentativa de resgate na Tailândia

Equipes de resgate na entrada da caverna Tham Luang no parque natural Khun Nam Nang Non, em Chiang Rai, norte da Tailândia em 27 de junho de 2018
Equipes de resgate na entrada da caverna Tham Luang no parque natural Khun Nam Nang Non, em Chiang Rai, norte da Tailândia em 27 de junho de 2018

Militares americanos e mergulhadores britânicos participam nas operações de busca de 12 crianças e adolescentes e seu treinador de futebol, que estão presos em uma caverna inundada do norte da Tailândia há cinco dias.

As chuva de monção na província de Chiang Rai aumentam o nível da água na caverna, o que obrigou os mergulhadores a interromper os trabalhos.

Soldados americanos foram enviados ao local para ajudar os socorristas locais, informou Bangcoc.

"Vamos avaliar com as autoridades tailandesas as possíveis ações", disse Jillian Bonnardeaux, porta-voz da embaixada dos Estados Unidos.

"São especialistas em mergulho e resgate no mar", disse uma fonte militar tailandesa.

As 12 crianças e adolescentes, com idades entre 11 e 16 anos, e seu treinador de 25 entraram na caverna de Tham Luang, perto da fronteira com Mianmar e Laos, no sábado após um treino. Mas a chuva bloqueou a entrada principal da rede subterrânea complexa, que tem vários quilômetros de comprimento.

As famílias não escondem a inquietação, já que acreditavam em um trabalho rápido após a instalação de bombas para retirar a água.

Na entrada da caverna, um cartaz avisa aos visitantes que não devem visitar o local durante a temporada de chuvas, entre julho e novembro.

"Os mergulhadores estão dispostos a retornar quando o nível da água abaixar para um nível aceitável", anunciou a Marinha tailandesa no Facebook.

De modo paralelo, guardas de fronteira e policiais, com o o auxílio de cães farejadores, rastreavam a montanha em busca de possíveis poços naturais que permitam um acesso vertical à caverna.

Os parentes apresentaram roupas das vítimas para ajudar os cães farejadores.

As autoridades também pretendem utilizar drones nas galerias caso as condições meteorológicas permitam.

Os primeiros dias de buscas não permitiram encontrar o menor rastro do grupo. As autoridades acreditam que eles podem ter encontrado refúgio em um ponto mais distante da caverna para evitar o aumento do nível da água.

O primeiro alerta veio de uma das mães, quando seu filho não retornou para casa de seu treinamento no sábado à noite. As equipes de emergência encontraram bicicletas, chuteiras e mochilas na entrada da caverna algumas horas depois.

O treinador, Ekkapol Janthawong, e os menores de idade conheciam bem o lugar, segundo as autoridades tailandesas. Os espeleólogos apreciam o local por sua complexa rede de túneis.

Na página do Facebook de Ekkapol Janthawong há fotos do treinador com os jovens atletas diante da caverna em 2016.

AFP

Repressão policial deu origem ao Dia do Orgulho Gay



orgulhogay: Paradas gays em todo o mundo marcam movimento contra a homofobia
© Divulgação Paradas gays em todo o mundo marcam movimento contra a homofobia
O Dia do Orgulho LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex) é celebrado mundialmente no dia 28 de junho. Atualmente, junho é um mês dedicado às manifestações em defesa do orgulho e direitos LGBT,mas nem sempre foi assim. A repressão policial marcava as manifestações dessas comunidades e foi justamente um desses episódios que deu origem à data.

Em 1969, um grupo de gays, lésbicas e trans estava reunido no bar Stonewall Inn, em Nova York, quando foram surpreendidos por uma batida policial para prender clientes por “conduto imoral”. Essas ações eram comuns em ambientes frequentados por esse público com o objetivo de coagir a comunidade LGBTI.

Naquela madrugada, porém, os frequentadores do bar resolveram reagir e contaram com o apoio de simpatizantes. Uma multidão se concentrou fora do local em favor da Rebelião de Stonewall. A mobilização contra a perseguição policial LGBTI durou mais duas noites.

Depois deste acontecimento foram organizados vários protestos em favor dos direitos dos homossexuais por várias cidades americanas e, no ano seguinte, foi organizada a primeira parada do orgulho LGBTI, realizada no dia 1° de julho de 1970, para lembrar o episódio.

De lá para cá, várias mobilizações ocorrem em todo o mundo como forma de celebrar a data e conscientizar a população sobre o combate à homofobia.

No Brasil, o primeiro ato ocorreu em 1995 no Rio de Janeiro durante a 17ª Conferência da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersex, que terminou com uma pequena marcha em Copacabana. No ano seguinte, aconteceu uma pequena manifestação em São Paulo, que reuniu cerca de 500 pessoas na praça Roosevelt. E só em 1997 foi realizada a primeira Parada Gay na Avenida Paulista.

Veja.com

Bactérias podem ser a chave para a colonização de Marte

Marte
© Fornecido por Unilogic Media Group Ltda Marte

Embora a colonização de Marte ainda seja algo que se encaixe mais como tema de ficção científica do que um projeto palpável à nossa realidade atual, esse assunto está cada vez mais presente em nosso cotidiano, a exemplo dos planos de Elon Musk para enviar missões espaciais no planeta vermelho até 2025, enquanto a NASA também pretende levar a humanidade a Marte nas próximas décadas.

Uma das ideias que vem sendo amplamente discutidas entre cientistas é a utilização de cianobactérias, que são capazes de realizar o processo de fotossíntese, para transformar os gases nocivos de Marte, como o dióxido de carbono, em uma atmosfera com alta densidade de oxigênio.

Tais bactérias são as mesmas que foram fundalmentalmente responsáveis pelo desenvolvimento das primeiras formas de vida na Terra e podem ser encontradas na natureza em ambientes com condições climáticas muito desfavoráveis à vida.

Conforme observam os cientistas, as cianobactérias são um dos poucos microrganismos capazes de sobreviver em condições extremas e em ambientes com pouca luminosidade, sintetizando o próprio alimento por meio do processo de fotossíntese, o que faz dela um elemento interessante para a terraformação de Marte.

No entanto, os principais obstáculos para isso estariam em contornar as principais vulnerabilidades das cianobactérias, pois os micróbios são extremamente sensíveis à exposição a raios ultravioleta e necessitam de um ambiente com água em estado líquido e em uma superfície sem substâncias oxidantes.

Embora as pesquisas ainda estejam ainda em fase inicial, os cientistas acreditam que o método de terraformação envolvendo o uso de cianobactérias é a proposta mais sólida no momento para que a colonização de Marte se torne uma realidade no futuro.

Fonte: Mashable

Sudão reverte condenação à morte de mulher que matou o marido

Noura Hussein, que havia sido condenada à morte por matar o marido enquanto ele tentava estuprá-la
© Divulgação Noura Hussein, que havia sido condenada à morte por matar o marido enquanto ele tentava estuprá-la

Um tribunal do Sudão revogou nesta terça-feira (27) a sentença de morte contra uma jovem condenada por matar seu marido em legítima defesa enquanto ele tentava estuprá-la. Agora, ela cumprirá uma pena de cinco anos de prisão.

Noura Hussein, de 19 anos, foi condenada à morte em 10 de maio de 2017 por um tribunal de Omdurman, depois que a família de seu marido se recusou a aceitar uma indenização em dinheiro, segundo a imprensa sudanesa.

No entanto, hoje, um tribunal de apelação em Khartoum decidiu reverter a condenação e ordenou que a sentença de cinco anos passasse a contar a partir da data de prisão da jovem, em 3 de maio do ano passado. Ainda assim, ela também teve de pagar 337.500 libras sudanesas (aproximadamente 70.000 reais) aos parentes de seu marido.

A decisão vem depois de uma campanha internacional realizada por ativistas sudaneses para chamar a atenção para os direitos das mulheres e pedir a abolição da sentença de morte no país.

A Anistia Internacional recebeu com satisfação a anulação da sentença de morte e pediu uma revisão legal no código penal islâmico de acordo com os padrões internacionais de direitos humanos.

“As autoridades sudanesas devem aproveitar esta oportunidade para começar a reformar as leis sobre casamento infantil, casamento forçado e estupro marital para que as vítimas não sejam penalizadas”, disse Seif Magango, vice-diretor regional da Anistia Internacional para a África Oriental, segundo o jornal local Sudan Tribune.

Noura casou-se contra sua vontade há três anos, quando tinha 16 anos, mas a cerimônia só aconteceu ano passado, em abril. Ela relatou que os irmãos do marido e um primo ajudaram a estuprá-la pela primeira vez.

Ativistas sudaneses pedem para que a idade mínima para o casamento seja elevada para 18 anos. A lei atual permite o casamento de crianças maiores de 10 anos.

Veja.com

terça-feira, 26 de junho de 2018

A lucrativa indústria da detenção de imigrantes nos EUA

Imigrantes detidos em centro privado: 65% dos centros de detenção de imigrantes estão nas mãos de empresas privadas
© Getty Images 65% dos centros de detenção de imigrantes estão nas mãos de empresas privadas

Enquanto a opinião pública reagia à separação de milhares de crianças migrantes de seus pais após cruzarem a fronteira dos EUA, as organizações que gerenciam os centros de detenção migratória viam seus negócios expandirem.

Só em 2017, o Serviço de Imigração e Controle Alfandegário (ICE na sigla em inglês) destinou quase US$ 3 bilhões (mais de R$ 10 bilhões) para custear o sistema de detenção de estrangeiros, que abriga os migrantes cujos casos estão sob análise da Justiça ou cuja deportação foi decidida.

E a maior parte desses centros de detenção são administrados pela iniciativa privada, em uma amostra da multimilionária indústria que cresceu junto com o controle migratório.

"Cerca de 65% dos leitos de que o governo federal dispõe para abrigar imigrantes estão nas mãos de empresas privadas. E essa cifra está crescendo com a atual crise migratória", relata Bianca Tylek, diretora do Projeto de Transparência de Centros de Detenção, sediado em Nova York.

"Em fevereiro de 2017, um alto funcionário do Departamento de Segurança Nacional (DHS em inglês) anunciou que aumentaria o número de leitos disponíveis para o ICE de 3,5 mil a 20 mil, um aumento de 500%", agrega Tylek, em entrevista à BBC News Mundo.

Paradoxalmente, a recente decisão de Trump de pôr fim à separação das crianças de seus pais pode fazer com que o volume de negócios dessas empresas aumente, em vez de diminuir.

Auge

Geo Group é uma das principais administradoras de centros de detenção privados do país

Geo Group é uma das principais administradoras de centros de detenção privados do país
© Getty Images Geo Group é uma das principais administradoras de centros de detenção privados do país

Em abril passado, uma das principais gestoras de presídios e centros correcionais do mundo, a Geo Group, foi questionada a respeito de seus negócios em uma teleconferência com investidores. O diálogo foi reproduzido na internet e pela emissora de rádio NPR.

"Houve um aumento constante nas travessias ilegais de fronteira, que acho que é igual ao aumento continuado no número de pessoas em nossos centros (de detenção de imigrantes). E esperamos que isso continue aumentando nossa taxa de ocupação e ofereça oportunidades para novos contratos de centros", respondeu o executivo da empresa.

"Os centros de detenção de imigrantes são uma peça central do modelo de negócios das empresas como a CoreCivic e o GeoGroup, que se dedicam a administrar presídios privados", diz Tylek.

Protesto contra o Geo Group em 2015; críticos dizem que endurecimento à imigração tem ajudado o crescimento de empresas

Protesto contra o Geo Group em 2015; críticos dizem que endurecimento à imigração tem ajudado o crescimento de empresas
© Getty Images Protesto contra o Geo Group em 2015; críticos dizem que endurecimento à imigração tem ajudado o crescimento de empresas

Ela acrescenta que a CoreCivic reportou em 2017 que 25% de suas receitas vieram de contratos com o ICE , que totalizam US$ 444 milhões. No caso do Geo Group, os contatos com o ICE representam 19% de suas receitas, de US$ 429 milhões.

Tylek destaca que essas duas empresas são as líderes de um mercado que inclui mais uma dezena de empresas concorrentes nos EUA.

Entre setembro de 2016 e janeiro de 2017, o valor de suas ações negociadas em bolsa cresceu de forma notável, em antecipação à chegada de Donald Trump à Presidência americana, uma vez que o discurso de endurecimento das regras migratórias já sinalizava, ainda na fase de campanha, que essas empresas teriam oportunidades de crescimento.

Em janeiro de 2017, o Geo Group assinou um acordo com o ICE para gerenciar um centro de imigrantes com 780 leitos no Estado da Geórgia e, dois meses mais tarde, anunciou um novo contrato de dez anos, para um centro de detenção no Texas com capacidade para mil pessoas.

Mudança de política
Tylek cita um relatório de junho de 2017 do Geo Group afirmando a seus investidores que aguardava uma ordem executiva da Casa Branca pondo fim à chamada política de "detenção e liberação" ("catch and release" em inglês) aplicada pelos governos anteriores, na qual os imigrantes eram processados e deixados em liberdade enquanto aguardavam seu julgamento.

De fato, Trump anunciou em 6 de abril uma política de "tolerância zero", passando a processar criminalmente o maior número possível de imigrantes ilegais, mesmo aqueles cuja única ilegalidade é entrar sem autorização no país.

A principal lei usada por Trump para fazer as deportações é a mais ampla regulando a imigração nos Estados Unidos: o Ato de Imigração e Nacionalidade de 1952 - criado e aprovado naquele ano por um Congresso de maioria democrata.

Ele afirma que uma pessoa que entra nos EUA ilegalmente está cometendo um ato infracionário, um crime mais leve, que pode ser processado em um tribunal criminal ou civil. Uma condenação resulta em deportação. Mas não há nada nesta lei - e em nenhuma outra - que afirme que o governo tem de separar as famílias.

O ato está em vigor há mais de 60 anos, mas a escolha de iniciar ou não um processo criminal contra os imigrantes pelo ato infracionário de entrar ilegalmente no país depende de cada governo.

Como as crianças não podiam ir para a prisão com os pais, detidos preventivamente por causa do processo criminal, elas passaram a ser separadas das famílias e enviadas para o Escritório de Reassentamento de Refugiados, que faz parte do Departamento de Saúde e Serviço Social.

Recentemente, Trump afirmou que tais crianças não ficarão mais separadas de seus pais, mas ainda não está claro como as famílias serão mantidas unidas na prática.

Negócios associados

Imigrante subindo em avião para ser deportado: Companhias aéreas se negaram a transportar crianças migrantes separadas de seus pais

Imigrante subindo em avião para ser deportado: Companhias aéreas se negaram a transportar crianças migrantes separadas de seus pais
© Getty Images Companhias aéreas se negaram a transportar crianças migrantes separadas de seus pais

Além dos centros de detenção, há também uma "complexa rede de negócios privados lucrando com a crise migratória", segundo Tylek.

"No setor de transportes, por exemplo, estão as empresas que transportam os imigrantes desde a fronteira até os centros de detenção. Em alguns casos, as empresas de transporte são propriedade dos mesmos conglomerados donos dos centros de detenção. Isso ocorre com o Geo Group e o CoreCivic, por exemplo", diz ela.

Além disso, diversas companhias aéreas americanas alugam seus aviões para o transporte de imigrantes, para deportação ou para enviá-los a centros de detenção. Nas últimas semanas, com o aumento das críticas públicas, muitas delas se negaram a transportar crianças que tivessem sido separadas de suas famílias.

O fornecimento de alimentação e telefonia para os centros de detenção também produz contratos lucrativos.

Crianças
No que diz respeito às crianças, as administradoras de centros infantis ficam encarregadas do alojamento e atendimento, enquanto a custódia fica a cargo do Departamento de Saúde e Serviços Sociais (HHS, na sigla em inglês) - que no último ano fiscal destinou US$ 958 milhões para a manutenção dos espaços de acolhida para menores migrantes.

Crianças em abrigo para imigrantes no Texas; espaços são administrados pelo Departamento de Saúde e Serviços Sociais

Crianças em abrigo para imigrantes no Texas; espaços são administrados pelo Departamento de Saúde e Serviços Sociais
© Getty Images Crianças em abrigo para imigrantes no Texas; espaços são administrados pelo Departamento de Saúde e Serviços Sociais

Esses espaços são diferentes dos centros de detenção, já que têm de oferecer salas de aula, serviços de saúde física e mental, espaços de recreação e serviços de reunificação familiar.

Administrativamente, esses lugares de acolhida dependem do Escritório de Reassentamento de Refugiados (ORR), que aloja atualmente cerca de 12 mil crianças nos EUA, inclusive as que foram separadas de seus pais no momento da imigração.

Embora muitos espaços de acolhida sejam geridos por instituições sem fins lucrativos, não escaparam da polêmica nas últimas semanas.

Um dos focos das críticas foi a Southwest Key, ONG sediada no Texas que nos últimos anos se tornou uma das principais instituições de acolhida no país - tem hoje 26 centros, com capacidade para abrigar 5 mil crianças.

O caso mais famoso é o da Casa Padre, construído no espaço que antes abrigava um supermercado e que conta com 1,5 mil leitos.

Casa Padre: ONG que administra a Casa Padre foi criticada pelo alto salário pago a seu presidente

Casa Padre: ONG que administra a Casa Padre foi criticada pelo alto salário pago a seu presidente
© Getty Images ONG que administra a Casa Padre foi criticada pelo alto salário pago a seu presidente

En 2018, a Southwest Key receberá US$ 458,6 milhões do HSS, elevando para US$ 1,5 bilhão o total de seus contratos com o governo federal na última década, segundo os registros do próprio HHS.

"Nosso crescimento é uma reação direta à chegada de crianças na fronteira", explicou Alexia Rodríguez, vice-presidente da organização, ao New York Times.

No entanto, documentos tornados públicos indicam que o fundador da ONG, Juan Sánchez, teria recebido em 2017 um salário anual de quase US$ 1,5 milhão - o que faria dele o quinto diretor de ONG mais bem pago dos EUA, segundo a organização CharityWatch.

"O chefe da Cruz Vermelha dos EUA recebe um salário de US$ 600 mil, e é uma ONG que gerencia centenas de milhões de dólares, controla a metade dos bancos de sangue e atua em situações de catástrofe. O orçamento dessa ONG (Southwest Key) é um décimo do da Cruz Vermelha", afirmou Daniel Borochoff, presidente da CharityWatch, à emissora CNN.

A BBC pediu uma entrevista com um porta-voz da Southwest Key, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Protesto contra empresas que apoiam política migratória de Trump, que endureceu regras que já vinham de governos prévios

Protesto contra empresas que apoiam política migratória de Trump, que endureceu regras que já vinham de governos prévios
© Getty Images Protesto contra empresas que apoiam política migratória de Trump, que endureceu regras que já vinham de governos prévios.

A crise migratória deste ano também resultou em contratos emergenciais para o acolhimento de menores, caso, por exemplo, do firmado com a entidade Comprehensive Health Services para aumentar seu atendimento de 500 para mil crianças imigrantes no sul da Flórida.

Segundo a agência Bloomberg, a empresa receberá US$ 31 milhões pelos serviços adicionais.

Novas oportunidades
Esse tipo de negócio pode crescer ainda mais próximos meses.

Ao revogar a separação entre imigrantes e crianças, o governo americano indicou que pretende fazer com que as famílias permaneçam juntas, sob um regime de detenção que aparentemente se estenderia indefinidamente até que os pais fossem processados criminalmente.

Agente de fronteira com imigrantes: Detenção de imigrantes na fronteira acaba movimentando negócios que passam por transporte, alimentação, telefonia e acolhimento

Agente de fronteira com imigrantes: Detenção de imigrantes na fronteira acaba movimentando negócios que passam por transporte, alimentação, telefonia e acolhimento
© Getty Images Detenção de imigrantes na fronteira acaba movimentando negócios que passam por transporte, alimentação, telefonia e acolhimento.

Esse plano é de difícil aplicação e pode acabar sendo impugnado pela Justiça. Mas, caso seja levado a cabo, pode resultar no aumento do tempo de permanência desses imigrantes nos centros de detenção.

"Não está claro como o governo pretende aplicar (essa medida), porque existe uma decisão judicial determinando que os menores migrantes não permaneçam mais de 20 dias detidos", diz à BBC News Mundo Liz Willis, cofundadora do Asylum Seeker Advocacy Project (Projeto de Defesa do Solicitante de Refúgio), de assessoria judicial aos imigrantes.

Willis afirma que, atualmente, só há um centro nos EUA equipado para abrigar adultos homens e crianças juntos, e outros dois aptos a abrigar mães e crianças juntas.

"Não há espaços que possam abrigar as famílias completas", diz ele.

Seria necessário, portanto, investir mais dinheiro para construir ou adequar novos centros para alojar as famílias detidas.

O Marudá Ofertou

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Extra

Momondo

Publicidade: 7

Publicidade: 1

Arquivo de postagens do site