Pesquise aqui os produtos mais baratos da internet. O Marudá Ofertou

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Evaldo nega as acusações de sequestro e estupro

Homem é acusado de ter sequestrado Alessandra Ramos, de 16 anos, encontrada no Maranhão

Por: O Liberal - Polícia
A Polícia Civil ouviu ontem (17) Evaldo Costa da Silva, de 39 anos e Alessandra Ferreira Ramos, de 16 anos, em depoimento. A versão apresentada por eles é distinta. E no fim, o homem suspeito de levar a jovem foi indiciado apenas por induzir a adolescente a fuga. Ele permanece preso e foi recolhido para a Central de Triagem da Cremação.
A delegada Adriana Magno, da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), tomou os depoimentos, da adolescente de 16 anos e de Evaldo Costa da Silva, 39, que foi preso ao lado da garota. As oitivas foram realizadas na sede da Delegacia-Geral, em Belém.
O depoimento da adolescente ocorreu durante a manhã de ontem. E foi mais longo. Durou cerca de quatro horas. Os detalhes do que a jovem revelou à polícia não foram divulgados. No entanto, Alessandra já havia dito que desde que ele a apanhou em frente ao Sesi (de onde desapareceu), em Ananindeua, Evaldo contou que estava sendo perseguido por uma milícia. E que estavam atrás dele para matá-lo e que a jovem também corria risco de vida pois, segundo Alessandra, Evaldo teria dito que a milícia achava que os dois tinham um caso e que ela e a família podiam ser assassinados. Ela aceitou ser levada por ele porque temeu pela segurança dela e dos familiares. 
A jovem ficou desaparecida por 22 dias e foi localizada pelo próprio pai no interior do Maranhão, no último dia 15. A adolescente deve ser encaminhada para passar por atendimento psicossocial, além de exames de sexologia forense, que atesta se a garota foi estuprada, ou não, e de lesão corporal. 
Depois da jovem, foi a vez de Evaldo depor. O depoimento dele teve início por volta de 15 horas e foi concluído perto de 19 horas. No final o acusado decidiu falar com a imprensa. O homem negou o sequestro da adolescente. Ele revelou que os dois tinham um relacionamento e planejaram juntos a fuga. “Eu decidi falar porque o meu desejo agora é limpar a minha imagem depois de ter sido acusado de estupro e sequestro. Essa versão de que estava sendo perseguido por milícia é mentira. Foi uma história apresentada para me incriminar. Mas o que aconteceu na realidade é que nós sempre tivemos um relacionamento e planejamos juntos ter um vida longe de todo mundo. Ela me disse que queria viver comigo”, afirma o acusado.

“ÉRAMOS UM CASAL”
Os dois participavam do mesmo grupo da igreja. Evaldo é padeiro e músico. Quando começaram a se relacionar, a jovem revelou que tinha um relacionamento também com um professor da escola.  “Ela me disse que estava com medo de que os pais descobrissem que ela tinha essa relação com esse professor. Também me contou que em casa o relacionamento era rígido com os pais. Por qualquer coisa o pai a privava de usar o celular. Até que um dia ela me disse que estava disposta a viver comigo”, diz. 
O acusado também revelou que foi até a escola da jovem em algumas ocasiões, por ciúme. Ele queria ter certeza de que ela não estava com outros. “No início eu sabia que ela também ficava com o professor. Mas com o tempo fui gostando dela e passei a ter ciúmes. Nós tivemos, sim, relações sexuais, porque éramos um casal. Ela tem 16 anos, mas tem uma mente evoluída”, explica Evaldo.
Após os depoimentos, a delegada titular da Divisão de Atendimento ao Adolescente, preferiu não se pronunciar sobre o caso. Ela informou apenas que Evaldo foi iniciado por induzir adolescente a fuga. Uma conduta prevista no Código Penal, com pena de até um ano de detenção ou multa. A delegada pretende concluir as investigações até antes do próximo fim de semana e remeter os autos do inquérito à Justiça.
Ontem à noite, ele foi transferido da Delegacia-Geral para a Central de Triagem da Cremação, onde vai permanecer recolhido em cumprimento a mandado de prisão temporária de cinco dias com data de expiração na quinta-feira. Durante a divulgação da imagem de Evaldo, durante o período em que a jovem estava desaparecida, foi publicado que ele teria antecedentes criminais. Ele contesta. Afirma que nunca foi preso. E que trabalhou a vida inteira e foi até vítima de trabalho escravo. Não houve confirmação até a noite de ontem se Evaldo tinha ou não passagem pela polícia.

O Marudá Ofertou

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Publicidade: 1

Arquivo de postagens do site