Pesquise aqui os produtos mais baratos da internet. O Marudá Ofertou

terça-feira, 13 de junho de 2017

Praias de Palmas têm qualidade de água própria para banho


Foto Aline Batista: Programa monitora a qualidade bacteriológica da água nos rios e lagos que formam as praias da Capital.
O monitoramento da balneabilidade das praias de Palmas foi realizado nos dias 5, 8, 15, 29 do mês de maio e no dia 5 de junho para a emissão doBoletim de Balneabilidade referente ao mês de maio de 2017.
 
A FMA está intensificando seu programa de monitoramento em função da proximidade da temporada de praias, que inicia em Julho. “A temporada de praias se aproxima e com ela também chega a necessidade de cuidados com a saúde. De nossa parte, estamos cuidando para que os banhistas – moradores e turistas de Palmas – possam utilizar nossas praias permanentes de forma segura”, informou o presidente da FMA, Evercino Moura dos Santos Júnior.
 
O Programa de Balneabilidade está estruturado para atender às especificações da Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), nº 274/2000, que define critérios para a classificação de águas destinadas à recreação de contato primário, ou seja, o contato direto e prolongado com a água (banho, recreação, mergulho, esqui-aquático, entre outros).                           
 
O parâmetro considerado para a balneabilidade das praias é o número mais provável (NMP) de coliformes fecais por 100 ml de água. Conforme a resolução Conama 274/2000, as condições de balneabilidade são definidas como própria quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros, e imprópria quando não atendidos os critérios estabelecidos para águas próprias, quando o valor obtido na última amostragem for superior a 2 mil Escherichia coli ou quando existirem ocorrências que possam ocasionar risco à saúde dos banhistas.
 
As amostras são coletadas pelos técnicos da Fundação Municipal de Meio Ambiente e enviadas para o Laboratório de Microbiologia Ambiental da Universidade Federal do Tocantins (Lambio/UFT), onde as análises são realizadas. De acordo com os resultados obtidos, as Praias do Prata, das Arnos, Buritis e Graciosa apresentam condições adequadas para a recreação de contato primário.
 
A praia do Caju está passando por revitalização, por isso as coletas não estão sendo realizadas e o local está fechado para utilização. Antes da abertura da praia ao público o monitoramento da balneabilidade na praia do Caju será retomado. 

Por Folha Capital

O Marudá Ofertou

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Publicidade: Sua marca aqui! 728 x 90

Publicidade: 1

Arquivo de postagens do site