sexta-feira, 30 de junho de 2017

Simone Veil, ícone da luta pelos direitos da mulher, morre aos 89

Foto: AFP

MUNDO - Feminista foi ministra francesa da saúde e impulsionou a legalização do aborto em 1975.

Simone Veil, ícone da luta pelos direitos da mulher, morreu aos 89 anos, nesta sexta-feira (30), em sua casa em Paris. A informação foi divulgada pela família.

Ministra da saúde durante a gestão de Valery Giscard d'Estaing, a feminista impulsionou a legalização do aborto em 1975.

Simone Veil nasceu em 13 de julho de 1927, em Nice (sul da França). Em 1944, aos 16 anos, ela foi deportada junto com a família, para o campo de concentração de Auschwitz. Seu pai, mãe e irmão foram vítimas do Holocausto e ela carregava o número de prisioneira, 78651, tatuado em seu braço.

Após a guerra, estudou direito na tradicional Ciências Po, em Paris. Ao longo de sua carreira política, Simone tornou-se uma defensora da União Europeia. Em 1979, ela foi eleita a primeira presidente do parlamento europeu.

Em 2010, ela se tornou a sexta mulher a entrar para a Academia Francesa, segundo a France Presse.

O presidente francês, Emmanuel Macron, fez uma homenagem à Simone Veil em sua conta no Twitter. "Que seu exemplo possa inspirar os nosso compatriotas, porque neles estão o que há de melhor da França".

G1

Crie seu site

Loja virtual completa e barata

O Marudá Ofertou

Publicidade: 1

Arquivo de postagens do site